sábado, 30 de abril de 2011

O Carro (de Boi) parou de cantar



Um menino magrinho.
Andou de Jeep com o pai.
Pegou carona em caminhonete de puxar leite, até a fazenda.
Desceu rua abaixo com uma latinha de leite para a mãe e irmãos.
Cresceu e formou-se em Contabilidade. Saiu de casa.
Foi ao Paraguai várias vezes, fez compras, trouxe e vendeu.
Voltou para casa.Foi para a Fazenda Contendas, de sua mãe, construiu retiro, tirou leite, fez queijo( 20Kg por dia), comprou queijos, comprou leite e fez mais queijos, e foi num saveiro azul vender em Betim-MG.Foram tantas viagens que o saveiro apodreceu a carroceria com o sal dos queijos. Vendeu o saveiro comprou uma D-20 verde, que atropelou uma vacada na rodovia.Produziu iogurte e mussarela.
Casou-se e teve um casal de filhos.
Montou laticínio na cidade.Comprou laticínio, ampliou-o e modernizou-o.Comprou laticínio e fechou.Cresceu, gerou empregos.Visitou todos os clientes.Viajou pelo Brasil e por vários países em busca de conhecimento na área de laticínios.Produziu vários tipos de queijo de mais de 80.000 litros de leite por dia, com a mais alta tecnologia. Adquiriu vários caminhões e carros novos.Vendeu queijos para Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, e outras tantas cidades.Produziu um queijo de 350,00Kg para exposição em Belo Horizonte,o que não aconteceu por força do destino.
Montou fábrica de ração para atender seus fornecedores de leite.
Elegeu-se prefeito de Matutina-MG, por duas vezes.
Foi a Faz. Curral Velho, Unaí/MG,  várias vezes me visitar.Foi em todos os meus aniversários.Conheceu e freqüentou a Festa da Moagem e do Carro de Boi de Unaí,  e a Romaria de Sto Antonio do Boqueirão.Carreou e fez amigos.  Gostou tanto que apoiou a criação do Festival do Carro de Boi de Matutina-MG,  em seu primeiro mandato de prefeito.Decisão esta tomada junto  com carreiros de Unaí e Matutina, em Sto Antonio do Boqueirão(Unaí).Fomos a vários eventos de Carro de Boi, inclusive em Vazante-MG.
Tornamo-nos compadre, ao ser padrinho de meu filho mais novo. Foi o amigo confesso.Amigo de meus amigos.Consultou-me em todas as obras que construiu.Falou comigo, ao telefone, quase todos os dias.
Foi visionário e moderno em todos os seus atos. Foi correto em tudo que fez.Fez amizade em todos os lugares em que passou.Ajudou muita gente.
Deixou rastros de Carro de Boi no asfalto das ruas de Matutina-MG, que tornaram-se rastros da mais profunda tristeza e saudade. Passou por cima destes rastros carregado pelos seus amigos carreiros em sua última viagem. Rastros que foram molhados com lágrimas de parentes, amigos, funcionários, e admiradores.
Este foi o amigo, compadre, e  irmãozão  José Hironilton Lopes, que faleceu em 26/04/2011, juntamente com seu pai Gil Lopes, em um trágico acidente na BR-262, no município de Córrego Dantas-MG.
                                Renildo Neides Alves-30/04/2011